País vai bloquear Facebook para 'educar' população » Rede Acontece
Últimas
19-10-2018 » Ao Vivo | Band realiza debate eleitoral em 6 estados e no DF; acompanhe 19-10-2018 » Corrida presidencial | Datafolha: Bolsonaro tem 59%, e Haddad, 41% dos votos válidos 19-10-2018 » Campanha dos presidenciáveis | Pode estar ressentido, diz Haddad de recusa de Ciro 19-10-2018 » Sétimo Guardião vem aí | Realidade é tão terrível que voltei para fantasia, diz Aguinaldo Silva 19-10-2018 » Nega briga política | Marquezine confirma fim de namoro com Neymar: "Decisão dele" 19-10-2018 » Cuidado | Ameaçar a vida e a integridade de alguém nas redes é crime 19-10-2018 » Profissional do game | Longe do futebol, Jean Chera se dedica ao Fifa e jogará Brasileiro 19-10-2018 » 'Lamentável' | Susto e tristeza: como a banda de Roger Waters reagiu às vaias em SP 19-10-2018 » Ainda sem data para começar | Vítimas de pedofilia serão ouvidas em projeto-piloto do Vaticano no Brasil 19-10-2018 » Testemunha relata grito de 'Bolsonaro' | Grupo tenta evitar que travesti seja enterrada como indigente em SP 19-10-2018 » Remédio Vivo | Medicamentos biológicos tratam de câncer a doença viral; entenda 18-10-2018 » Eleições nas redes sociais | Campanha de Bolsonaro notificará empresas e processará Haddad 18-10-2018 » Mais Datafolha nos Estados | No Rio, Witzel tem 61% dos votos válidos 18-10-2018 » Disputa ao Governo de SP | Doria tem 53% e França, 47% dos votos válidos, diz Datafolha 18-10-2018 » Opinião | Justiça não pode duvidar que Ustra foi torturador 18-10-2018 » Caso Bolsonaro seja eleito | Ilan se prepara para deixar BC ao fim do mandato de Temer, segundo fontes
Publicidade
31 de maio de 2018

País vai bloquear Facebook para ‘educar’ população

Imagem Reprodução

O governo da Papua Nova Guiné irá impedir o acesso ao Facebook por um mês no país, em um curioso e polêmico experimento que visa entender o impacto das fake news na sociedade. “Este período irá permitir que sejam identificadas informações e perfis falsos, e usuários que divulgam conteúdo pornográfico ou pedófilo. Todos serão filtrados e removidos. Isso também fará com que as pessoas com identidades verdadeiras tenham mais responsabilidade em usar as redes sociais”, disse o ministro da Comunicação, Sam Basil. De acordo com ele, o crescimento constante das redes sociais sempre impediu o governo de ter tempo para “refletir sobre as vantagens e desvantagens do Facebook e para educar a população”. Citando o escândalo da Cambridge Analytica, o ministro também disse que “esse pode ser o momento de criar uma própria rede social”. O banimento do Facebook é permitido por meio da Lei de Crimes Cibernéticos, que vai aprovada no país em 2016.
A Papua Nova Guiné, na Oceania, tem uma população de oito milhões de pessoas, mas menos de 15% delas têm acesso à internet. A decisão do governo gerou preocupação na comunidade internacional, já que alguns países, como a China, bloqueiam o Facebook por motivo de censura. “Um mês é um tempo interessante, mas não tenho certeza que o projeto levará ao resultado necessário. Se o problema são as fake news, existem outros modos de monitorar o fenômeno sem bloquear a plataforma toda”, comentou Aim Sinpeng, especialista de política e mídias digitais da Universidade de Sidney.


VOLTAR