Pela primeira vez, diretor da Fifa admite "erro" em gol da Suíça » Rede Acontece
Últimas
21-07-2018 » "Diferente de tudo que a DC já fez" | Trailer inédito de Aquaman revela mundo subaquático do herói; veja 21-07-2018 » É só dizer a palavra mágica | Primeiro trailer de Shazam promete versão divertida do herói; assista 21-07-2018 » "Tiro ao alvo" com pré-candidato | Jair Bolsonaro volta a aparecer com criança fazendo gesto de arma 21-07-2018 » Entre brecha na lei e fiscalização falha | Como Dr. Bumbum conseguia atuar sem especialização? 21-07-2018 » Você pode estar 'rico' sem saber | Jogou fora brinquedos da infância? Hoje eles podem valer uma nota 21-07-2018 » Luta contra o câncer | Ana Furtado festeja volta ao "É de Casa": "Muito feliz" 21-07-2018 » Foi se exibir | Homem faz gracinha e estraga Lamborghini 21-07-2018 » Herói canino | Cão pula na frente de cobra e é picado no lugar da dona 21-07-2018 » Dirigiu "G. da Galáxia" | James Gunn fez vídeo "quase pornô" com Sasha Grey 21-07-2018 » Árbitro de vídeo | Mattos: VAR corrigiria cerca de 100 erros de juízes no Brasileiro 21-07-2018 » Alvo de operação da PF | "Já enchi mochila de dinheiro", diz motorista de ex-dirigente da Dersa 21-07-2018 » Problemas na imigração | Itamaraty: 19 crianças brasileiras já foram reunidas aos pais nos EUA 21-07-2018 » "Segundo Sol" | Poemas a youtubers: como atores aprendem o sotaque baiano 21-07-2018 » Eleições 2018 | Líderes do centrão são alvo de ao menos 13 inquéritos na Justiça 21-07-2018 » Voos atrasados e cancelados | Pane de radares ainda afeta aeroportos de SP 21-07-2018 » Transporte lotado | Cidades crescem 10 vezes em 70 anos e têm de melhorar mobilidade 21-07-2018 » Proliferação de fungos | Umidificador ligado a noite toda pode fazer tão mal quanto o ar seco 21-07-2018 » Candidatos ao governo | Eleição no Rio terá embate entre 'outsiders' e políticos de carreira 21-07-2018 » Palco era presídio em SP | PCC planejou resgate com caminhão "blindado" 21-07-2018 » Zoeira não fica de fora | A nova da Anitta: a reação da internet ao clipe de Medicina
Publicidade
centro medico sao gabriel clinica master grafica bandeirante supermercado centrel intersorft lab laboratorio
20 de junho de 2018

Pela primeira vez, diretor da Fifa admite “erro” em gol da Suíça

Foto: Reprodução

A arbitragem do jogo entre Brasil e Suíça, no domingo “errou” no gol de empate do time europeu. A avaliação é de Marco Van Basten, ex-jogador e hoje diretor técnico da Fifa. Essa, porém, não é a percepção dos responsáveis pela tecnologia e nem pela arbitragem. “Tive várias discussões com pessoas dentro da Fifa sobre esse assunto nos últimos dias”, explicou. “Acho que precisamos aprender com esse caso”, defendeu. Segundo ele, os brasileiros agiram de forma correta ao se queixar em uma carta enviada para a Fifa. Para ele, isso não vai mudar o resultado do jogo. Mas pode ajudar a Fifa a avaliar seu próprio processo. “Não acha que o juiz deveria ter dado aquele gol”, defendeu. “Essa é minha opinião pessoal”, ponderou. Na carta, a CBF solicita uma cópia do audio das conversas entre o árbitro de campo e a cabine que se ocupa do vídeo. A entidade também quer as imagens. Ainda que não haja como objetivo rever o resultado do jogo, a CBF quer que a Fifa tenha consciência de que o sistema falhou. A Fifa já indicou que irá responder à carta enviada pela CBF. Mas teme que, ao entregar o áudio à seleção, abrirá um precedentes perigoso, levando a uma pressão indevida sobre os árbitros. Já os comentários do ex-jogador holandês apontam que não existe um consenso dentro da entidade sobre o tratamento do caso de Miranda. A avaliação de Van Basten não é a mesma da cúpula da arbitragem na entidade. A percepção no Comitê dos Árbitros é de que o juiz da partida agiu de forma “correta” e não houve nem falta em Miranda e nem pénalti em Gabriel Jesus.
Segundo o corpo técnico que se ocupa da aplicação do VAR,, os árbitros na cabine avaliaram a cena do suposto empurrão sobre Miranda, inclusive em câmara lenta. Mas chegaram à conclusão de que não houve uma falta. Por isso, não pediram que o árbitro em campo paralisasse a partida e apenas o disseram para seguir. Um dos aspectos avaliados foi o posicionamento de Miranda, que não teria sido desequilibrado na visão dos árbitros. Já no caso de Gabriel Jesus, o mesmo processo ocorreu. Na cabine do VAR, os árbitros reavaliaram o lance, mesmo sem que o juiz da partida soubesse. Mas optaram por não alertar o árbitro César Ramos sobre uma eventual irregularidade e indicaram que poderia seguir. Por isso, o lance também seguiu. Fontes na Fifa ainda indicaram que usaram o “super slow replay” – uma tecnologia que permite rever a imagem num ritmo ainda mais lento – para tomar uma decisão no que se refere ao lance de Gabriel Jesus. Mas concluiu que não houve pênalti. Na avaliação da cúpula da Fifa, o VAR não pode tirar do futebol seu caráter de contato. “Caso contrário, matamos o jogo”, afirmou um dos principais dirigentes da entidade. Entre os membros da CBF, a percepção era de que a carta não mudará nada do resultado. Mas a entidade precisava “se pronunciar”. “Precisamos marcar posição”, disse Gustavo Feijó, vice-presidente da CBF.

Feijó foi alvo de uma operação policial em meados do ano passado por conta da suspeita de recebimento de R$ 600 mil da Confederação para sua campanha eleitoral para prefeito de Boca da Mata (AL). A Polícia Federal apurou que sua campanha teria custado R$ 2 milhões. Mas Feijó apenas declarou R$ 105 mil. Já o presidente da CBF, coronel Antônio Nunes, preferiu não se pronunciar sobre a carta e nem sobre o lance. Quando foi questionado pela imprensa internacional e brasileira sobre o assunto, apertou o passo e foi conduzido por um de seus assistentes para longe dos jornalistas.


Tags:
VOLTAR