Petrobras reduz 30% dos cargos em diretorias e gerências » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 16-06-2019 » Schwartsman | Critérios errados de escolha levam a chefes ruins 16-06-2019 » Deysi Cioccari | A eleição de Bolsonaro para além da facada 16-06-2019 » Coworking | Empresa faz ponte entre corporações e startups 16-06-2019 » Tostão | Seleção não empolgou nem decepcionou 16-06-2019 » Angela Alonso | Só não viram deslizes os cegos de ódio pelo vilão 16-06-2019 » Reinaldo Lopes | O que pode explicar o fim de povos amazônicos 16-06-2019 » Padiglione | Paródia de Moro compensa timidez editorial da Globo 16-06-2019 » PVC | Copa América deixou uma coleção de lendas 16-06-2019 » Stycer | Emissoras usam confusão entre ator e personagem 16-06-2019 » Marcos Lisboa | Não se sabe como os vazamentos terminam 16-06-2019 » Fernanda | O totalitarismo iguala Hitler, Mao, Mussolini, Stálin 16-06-2019 » Antonio Prata | O maior caso de delírio coletivo da história humana 16-06-2019 » Pediu demissão após fala de Bolsonaro | CPI do BNDES quer que Levy explique demissão e 'caixa preta' 16-06-2019 » Mais Copa feminina | Após sofrer 17 gols, Tailândia marca e leva comissão às lágrimas 16-06-2019 » A cara do bebê real | Meghan e príncipe Harry mostram o rosto de Archie pela 1ª vez 16-06-2019 » Não deve ficar no PSG | Livre no mercado, Dani Alves avisa que 'não tem medo de desafios' 16-06-2019 » Caso Neymar | Novo advogado diz que Najila é vítima de 'fanáticos do futebol' 16-06-2019 » Delis Ortiz | Repórter da Globo dá uma Bíblia a Bolsonaro após café no Planalto 16-06-2019 » Mortos no Rio em abril | MPF apela a Dodge para investigar militares que fuzilaram músico e catador 16-06-2019 » Mais sobre vazamentos | 'Chat secreto' e envio de arquivos levaram MPF a adotar Telegram
Publicidade
29 de janeiro de 2016

Petrobras reduz 30% dos cargos em diretorias e gerências

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (28) que vai adotar um novo modelo de gestão e governança. Em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa informou que o modelo foi aprovado pelo Conselho de Administração. O presidente da estatal, Aldemir Bendine, que participa de entrevista para explicar as alterações, disse que o novo modelo faz parte de “um plano muito bem estruturado”, envolvendo mudanças na governança da companhia que “vão ser aprofundadas ao longo do tempo”. Segundo ele, a indicação política para cargos não faz mais parte do modelo da empresa. “É uma grande blindagem que se faz”, afirmou. Bendine defendeu que o novo modelo, para ter sucesso, precisa ter o engajamento de toda a empresa. “Vai ser um processo de construção coletiva”, acrescentou. Na primeira fase da reestruturação haverá redução de 14 funções na alta administração e nas diretorias, que passarão de sete para seis com a junção das áreas de Abastecimento e Gás e Energia.As funções gerenciais ligadas diretamente ao Conselho de Administração, ao presidente e aos diretores cairão de 54 para 41.As demais funções do corpo gerencial serão avaliadas na segunda etapa, prevista para fevereiro. Segundo a empresa, as nomeações e a alocação de equipes ocorrerão a partir de março. A nova Diretoria de Desenvolvimento da Produção & Tecnologia (DP&T) centralizará a execução dos projetos de investimento. “Essa nova estrutura concentrará a gestão e as competências técnicas de implantação de empreendimentos”, explicou a Petrobras. A empresa informou que a mudança é decorrente “da necessidade de alinhamento da organização à nova realidade do setor de óleo e gás e da prioridade da rentabilidade e disciplina de capital, além de fortalecer a governança da companhia por meio de maior controle e conformidade nos processos e da ampliação dos níveis de responsabilização dos executivos”. Com as alterações houve fusão de áreas e centralização de atividades. Haverá ainda novos critérios para a indicação de gerentes executivos e responsabilização formal de gestores por resultados e decisões. A Petrobras estima que vai economizar R$ 1,8 bilhão por ano com as mudanças e prevê uma redução de pelo menos 30% no número de funções gerenciais em áreas não operacionais. Conforme a companhia, existem cerca de 7,5 mil funções gerenciais aprovadas, 5,3 mil em áreas não operacionais. A empresa anunciou também que serão criados seis comitês técnicos estatutários, compostos por gerentes executivos. Após análise prévia, eles terão a função de emitir recomendações sobre os temas que serão deliberados pelos diretores, que serão corresponsáveis nos processos decisórios. A partir de agora, a escolha dos gerentes executivos, passará por novos critérios de análise de capacitação técnica e de gestão. As nomeações e o desligamento dessas funções terão que ser aprovadas pelo Conselho de Administração. “Ao reforçar o compromisso com a conformidade, nossa reestruturação prevê mudanças nos controles internos de contratação e investimentos. As atividades de contratação de bens e serviços serão concentradas na nova Diretoria de Recursos Humanos, SMS e Serviços”, indicou a Petrobras. A companhia informou ainda que as mudanças resultantes das alterações no Estatuto Social da Petrobras serão submetidas à aprovação da Assembleia Geral de Acionistas, a ser convocada oportunamente.


Tags:
VOLTAR