Polícia Federal desarticula suposta organização de tráfico de drogas em três cidades na Bahia » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 02-06-2020 » Suposta interferência na PF | PGR apoia pedido de prorrogar por 30 dias inquérito que investiga Bolsonaro 02-06-2020 » Roda Viva | Lobão: 'Golpe está a caminho, e Maia vai ficar devendo de maneira trágica' 02-06-2020 » Ação movida pela Rede | Plenário do STF julga validade do inquérito das fake news em 10 de junho 02-06-2020 » Economia | Governo planeja permitir demissão de até 50% dos funcionários em programa de crédito para empresas 02-06-2020 » Ministro do STF | Celso de Mello rejeita pedido de apreensão de celular de Bolsonaro 02-06-2020 » 'Questões do aço brasileiro' | Bolsonaro conversa com Trump e diz que Brasil deverá integrar G7 expandido 02-06-2020 » Militante de direita | Sara Winter debocha de intimação para depor após ameaças ao STF: 'Não vou' 02-06-2020 » Caso George Floyd | Após uma semana de protestos, Trump mobiliza militares 02-06-2020 » Manifestações pelo Brasil | RJ: jovem negro que ficou sob mira de fuzil em ato é entregador e faz poesia 02-06-2020 » Ao vivo no UOL, hoje (13h) | Especialistas debatem a luta antirracista no Brasil e nos Estados Unidos 02-06-2020 » São Paulo | MP abre inquérito para investigar suposto gabinete do ódio na Alesp 02-06-2020 » Coronavírus no estado | Mortes por covid-19 no RJ crescem 30% em semana anterior à reabertura 02-06-2020 » Luiz Felipe Pondé | Santidade, silêncio e sanidade 02-06-2020 » Ruy Castro | Cinema deixará de ser veículo de fruição coletiva 02-06-2020 » Ronaldo Lemos | Índia resolve invisibilidade com identidade digital 02-06-2020 » Marcus Melo | Hiperprotagonismo do STF não surpreende 02-06-2020 » Alexandre Faisal | Depressão na gravidez ou no pós-parto 02-06-2020 » Juca Kfouri | Manifesto é passo para virarmos o jogo 02-06-2020 » Marcelo Leite | Fogo, última gota sobre a Amazônia 02-06-2020 » Comissão Arns | Armar o povo: atentado contra o Estado
Publicidade
26 de fevereiro de 2019

Polícia Federal desarticula suposta organização de tráfico de drogas em três cidades na Bahia

Foto Rede Acontece

A Polícia Federal, através da Delegacia de Repressão a Drogas, deflagrou na manhã de desta terça-feira (26), a denominada Operação Sarepta visando a desarticulação de organização criminosa voltada para o tráfico interestadual de drogas e lavagem de capitais. Estão sendo cumpridos 03 (três) mandados de prisão preventiva, 05 (cinco) mandados de prisão temporária, além de 19 (dezenove) mandados de busca e apreensão nas cidades de Porto Velho/RO, Ariquemes/RO, Alto Paraíso/RO, Monte Negro/RO, Rio Crespo/RO, Itabuna/BA, Jequié/BA, Camaçari/BA e São Paulo/SP. Além das prisões e buscas, a Vara de Delitos de Tóxicos de Porto Velho/RO determinou o bloqueio de contas bancárias e bens dos investigados, além do sequestro de imóveis, veículos e gados (semoventes). Ao longo das investigações, iniciadas em janeiro de 2018, a Polícia Federal identificou a apreensão de duas cargas de entorpecentes ocorridas nas cidades de Itabuna/BA e São Paulo/SP, totalizando aproximadamente 140kg (cento e quarenta quilos) de cocaína. As drogas eram remetidas das cidades de Porto Velho/RO e Ariquemes/RO para os Estado da Bahia e São Paulo ocultas no interior de peças metálicas de chumbo preparadas exclusivamente para este fim, com o intuito de burlar qualquer tipo de fiscalização, as quais eram transportadas por empresas de boa-fé e sem participação no Visando a lavagem do capital ilícito obtido com a venda das drogas, restou demonstrado que os investigados adquiriram diversos imóveis, gados e veículos, sendo que alguns caminhões eram, inclusive, locados a órgãos públicos com o intuito de aparência de legalidade ao dinheiro ilícito no interior do Estado de Rondônia. O principal investigado e líder do grupo criminoso, além de suas atividades com a compra e venda de gado e aluguel de máquinas adquiridas com o dinheiro ilícito, é proprietário de uma loja de aparelhos celulares na cidade de Ariquemes/RO, utilizada para a emissão de notas fiscais falsas e para a lavagem de capitais. Os presos, que responderão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, foram encaminhados para as unidades prisionais, onde permanecem à disposição da Vara de Delitos de Tóxicos.


VOLTAR