Política de Defesa Cibernética e integração sul-americana serão avaliadas pela CRE » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 21-07-2019 » Jogo de terça é em Mendoza | Palmeiras ficará em Buenos Aires após problema em voo e 10 horas dentro de avião 21-07-2019 » Caso Flordelis | 'Não pode acabar em pizza', diz filho de deputada sobre morte de pastor no RJ 21-07-2019 » Considerados políticos | Exército enquadra tuítes de militares da ativa 21-07-2019 » Novo vazamento de mensagens | Deltan receou comentar caso Flávio e questionou reação de Moro 21-07-2019 » Órgão atacado por Bolsonaro | Após acusação de publicação de dados desonestos, cientistas defendem o Inpe 21-07-2019 » Mentora da lei do feminicídio | 'Quando se tem uma ministra que crê que mulher é inferior, tudo pode acontecer' 21-07-2019 » Na GloboNews | José Roberto Burnier pede licença para se tratar de um câncer 21-07-2019 » De cobertura | Jogador do Fortaleza faz gol contra do meio de campo; assista 21-07-2019 » Agressão no Beira-Rio | STJD vai analisar imagens, e Inter pode ser punido 21-07-2019 » San Diego Comic-Con | Marvel lançará 10 produções até 2021; Portman será Thor 21-07-2019 » Após fala sobre nordestinos | Bolsonaro chama de 'melancia' general que o criticou 21-07-2019 » Ministério ainda não confirma | Em suposto áudio de caminhoneiros, ministro suspende tabela do frete 21-07-2019 » Samuel Pêssoa | Velha esquerda no país morrerá de morte morrida 21-07-2019 » Antônio Prata | Uma mesma palavra e tantos significados 21-07-2019 » Perrone | Hostilidade de palmeirenses não é normal 21-07-2019 » A. Pellegrino | Surfistinha é o pânico de homens como o presidente 21-07-2019 » Reinaldo Azevedo | Por qual crime Bolsonaro será deposto? 21-07-2019 » Diogo Schelp | Por que 'guerra' em Hong Kong continua? 21-07-2019 » Josias de Souza | Língua de Bolsonaro ganhou vida própria 21-07-2019 » Drauzio Varella | Fatalismo deve ser substituído por práticas saudáveis
Publicidade
10 de maio de 2019

Política de Defesa Cibernética e integração sul-americana serão avaliadas pela CRE

Foto Edilson Rodrigues/Agência Senado

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) decidiu na última quinta-feira (9) avaliar durante o ano de 2019 a Política de Defesa Cibernética, que está sob a alçada do Exército brasileiro. O Regimento do Senado prevê que, anualmente, cada Comissão analise criticamente os resultados alcançados por até três políticas públicas conduzidas pelo governo federal. A iniciativa partiu do senador Esperidião Amin (PP-SC), para quem o setor cibernético é, ao lado do espacial e do nuclear, estratégico para a defesa do país. — Isso requer seu fortalecimento, o aperfeiçoamento de dispositivos de segurança e a adoção de procedimentos visando diminuir a vulnerabilidade dos sistemas que possuam suporte de tecnologia da informação e comunicação. Além disso, a área permite o fomento de pesquisas científicas e o estabelecimento de parcerias com a indústria nacional, na produção de sistemas inovadores. A intenção da atual Estratégia Nacional de Defesa é evoluir o atual sistema para Comando de Defesa Cibernética das Forças Armadas — detalhou o senador. Por sugestão do presidente da CRE, senador Nelsinho Trad (PSD-MS), também serão avaliadas as atuais diretrizes do governo voltadas à integração logística e física na America do Sul. O senador entende que estas políticas são hoje essenciais não somente visando intensificar parcerias entre as nações sul-americanas, mas também visando o estabelecimento de corredores de comércio mais rápidos e de menor custo com a Ásia. — O efeito dessa integração será multiplicador nos fluxos de comércio e investimentos. Vamos avaliar o potencial, mas também as deficiências e gargalos que precisamos superar visando essa integração. O mais relevante, a meu ver, é o corredor bioceânico, que diminuirá em 8 mil quilômetros o transporte e escoamento de produtos ligando países banhados pelos oceanos Atlântico e Pacífico — detalhou Nelsinho. O senador ainda mencionou a declaração do presidente Jair Bolsonaro, durante a posse do atual presidente da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, de que o estabelecimento do corredor bioceânico seria uma prioridade de sua gestão.


VOLTAR