Processo do TSE contra chapa Dilma-Temer deve ser agilizado, diz Marina » Rede Acontece
Publicidade
19 de janeiro de 2016

Processo do TSE contra chapa Dilma-Temer deve ser agilizado, diz Marina

Foto: Guanambi Acontece

Foto: Guanambi Acontece

A ex-candidata a presidência da República e ex-­senadora, Marina Silva, se mostrou contra ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. À Folha de São Paulo ela disse que prefere que a crise instalada no Planalto se resolva e acelere o processo contra a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer. “Impeachment não se fabrica, ele se explicita em função dos fatos que o justificam. Não se muda o presidente da República simplesmente porque a gente discorda dele”, pontuou. Indagada sobre uma possível candidatura, caso o TSE impugne a chapa Dilma/Temer, ela afirmou que do ponto de vista legal pode sair candidata, mas do ponto de vista político ainda não sabe. “Isso eu ainda não sei. No momento estou focada no que é melhor para o Brasil, o processo que está vindo das investigações. Até porque um processo de impeachment conduzido pelo presidente Eduardo Cunha…[ri] ele deveria estar propondo o seu próprio afastamento”, disse. “Há evidências fortes de que o dinheiro de toda essa corrupção generalizada, institucionalizada, continuada, alimentou a campanha da presidente e do vice, se isso for comprovado, eu repito, comprovado, a chapa deve ser cassada. No meu entendimento o processo do TSE deve ser agilizado.


VOLTAR
19 de janeiro de 2016

Processo do TSE contra chapa Dilma-Temer deve ser agilizado, diz Marina

FOTO: BRUMADO ACONTECE

FOTO: BRUMADO ACONTECE

A ex-candidata a presidência da República e ex­-senadora, Marina Silva, se mostrou contra ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. À Folha de São Paulo ela disse que prefere que a crise instalada no Planalto se resolva e acelere o processo contra a chapa de Dilma Rousseff e Michel Temer. “Impeachment não se fabrica, ele se explicita em função dos fatos que o justificam. Não se muda o presidente da República simplesmente porque a gente discorda dele”, pontuou. Indagada sobre uma possível candidatura, caso o TSE impugne a chapa Dilma/Temer, ela afirmou que do ponto de vista legal pode sair candidata, mas do ponto de vista político ainda não sabe. “Isso eu ainda não sei. No momento estou focada no que é melhor para o Brasil, o processo que está vindo das investigações. Até porque um processo de impeachment conduzido pelo presidente Eduardo Cunha…[ri] ele deveria estar propondo o seu próprio afastamento”, disse.  “Há evidências fortes de que o dinheiro de toda essa corrupção generalizada, institucionalizada, continuada, alimentou a campanha da presidente e do vice, se isso for comprovado, eu repito, comprovado, a chapa deve ser cassada. No meu entendimento o processo do TSE deve ser agilizado.


VOLTAR