STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 16-07-2019 » Cúpula na Argentina | Araújo chama Venezuela de pedra no caminho do Mercosul 16-07-2019 » Hospital e advogados | Justiça penhora salário de Luxa para pagar credores de Marcelinho 16-07-2019 » Tomou posse hoje | BNDES vai vender R$ 100 bi em fatias de empresas, diz presidente do banco 16-07-2019 » Não me perturbe | Em 12 horas, 240 mil consumidores bloqueiam ligações de telemarketing 16-07-2019 » Muitas opções... | Para onde Daniel Alves vai? Veja os possíveis destinos do lateral 16-07-2019 » A Divisão | Série do Globoplay parou tiroteio para ensaiar em morro no RJ 16-07-2019 » Registrou B.O. | 'Foi muito violento mesmo não sendo eu no vídeo', diz Paolla 16-07-2019 » Fique atento | Fraude pode causar cobrança indevida na sua aposentadoria 16-07-2019 » Vítima de crime | Brasileiro que fazia intercâmbio na China é encontrado morto 16-07-2019 » Quer voltar ao Barça | Neymar aceita viajar com PSG à China, mas insiste em saída 16-07-2019 » João P. Coutinho | Nem as histórias infantis escapam de hiperpolitização 16-07-2019 » Menon | Fluminense é sempre divertido; para os outros 16-07-2019 » Josias | Bolsonaro se aborrece com tom de Rodrigo Maia 16-07-2019 » Claudia Costin | Crianças merecem um presente e um futuro dignos 16-07-2019 » M. Cantuaria | Idealizar macho alfa não é tarefa para amadores 16-07-2019 » Ivan Marsiglia | O que striptease de Dallagnol tem a nos mostrar 16-07-2019 » Cláudia Collucci | Saúde pública deteriorada e sem recursos 16-07-2019 » Suzana H. Houzel | Por que é importante estudar doença rara? 16-07-2019 » Alvaro C. e Silva | Burle e os artistas que salvam a imagem do Brasil 16-07-2019 » Marcos Nogueira | A melhor pizza do mundo fica no Japão
Publicidade
14 de janeiro de 2019

STF vai julgar casos polêmicos a partir do próximo mês

Imagem Reprodução

De acordo com informações do repórter André Richter, da Agência Brasil, foram pautadas para as primeiras sessões do ano os processos que tratam da prisão após o fim dos recursos em segunda instância, a criminalização da homofobia e a descriminalização do porte de drogas para uso pessoal. A publicação afirma que a decisão de voltar a julgar os temas partiu do presidente da Corte, ministro Dias Toffoli, no fim do ano passado. Os trabalhos na Corte serão retomados no dia 1 de fevereiro. A primeira pauta polêmica será a decisão definitiva, no dia 7 de fevereiro, sobre o sigilo das votações dos parlamentares na eleição para as mesas diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Em seguida, no dia 13 de fevereiro, está também a ação direta de inconstitucionalidade por omissão (ADO) na qual o PPS pede ao Supremo que declare o Congresso omisso por ainda não ter votado o projeto que criminaliza a homofobia. O julgamento dos processos que tratam da prisão após o fim dos recursos em segunda instância acontece no dia 10 de abril. O tema pode ter impacto sobre a situação de milhares de presos pelo país, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde 7 de abril do ano passado, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ter sua condenação por corrupção e lavagem de dinheiro confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no caso do tríplex do Guarujá (SP). No dia 5 de junho está marcado o julgamento da descriminalização de usuário de drogas. Além dos julgamentos polêmicos, o ano no Judiciário será marcado pela decisão do presidente Jair Bolsonaro de reconduzir ou não a atual procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ao cargo. O mandato de Dodge termina em setembro deste ano.


VOLTAR