Suco natural, suco industrializado e refrigerante: eles também hidratam? » Rede Acontece
Últimas
21-08-2018 » Cotação em alta | Mercado especula com eleição, e dólar opera perto de R$ 3,97 21-08-2018 » Ex-presidente é candidato | Para acelerar caso Lula, Barroso pode abrir mão de prazos no TSE 21-08-2018 » Chove, mas continua seco | Imagens de satélite mostram que estiagem impera na maioria do NE 21-08-2018 » Uma alternativa pouco conhecida | Não tem fiador? Título de capitalização pode servir para garantir aluguel 21-08-2018 » Ideia é repetir Donald Trump | Bolsonaro diz que cometeu ato falho e que jamais pensou em sair da ONU 21-08-2018 » O craque de 13 patrocinadores | Por contrato, Neymar destina 85% do lucro com publicidade aos pais 21-08-2018 » Nova Blazer, Argo 'Cross' e mais | Confira os carros que serão lançados no Salão de São Paulo 2018 21-08-2018 » Jornalismo | Morre aos 61 anos Otavio Frias Filho, diretor de Redação da Folha 21-08-2018 » Pesquisa Ibope | Suplicy tem 28%, Covas, 17%, e Olimpio, 15% para Senado em SP 21-08-2018 » Caso Letícia Almeida | Ex-cunhada fala sobre traição de atriz e cita perdão 21-08-2018 » TV cita 'renovação' | Domingão do Faustão tem cinco bailarinas demitidas 21-08-2018 » Após oito anos | Narrador do SporTV é dispensado: 'Fui pego de surpresa' 21-08-2018 » Reality volta hoje | 5 participantes que se rebelaram contra o MasterChef 21-08-2018 » Pirâmide de sucessos | Como Goiânia virou o mais importante mercado do sertanejo 21-08-2018 » Multa e saída gratuita | Leila fala em prejuízo de R$ 100 mi com Barrios no Palmeiras 21-08-2018 » Seu corpo | Por que sentimos mais fome quando está frio? 21-08-2018 » Guerra contra a hora extra | Japão está pedindo que trabalhadores tirem uma manhã de 2ª de folga 21-08-2018 » Luto além do jornalismo | Como dramaturgo, Otavio teve sucessos e fracassos 21-08-2018 » Trajetória | Otavio esteve à frente da campanha pelas Diretas Já 21-08-2018 » Refrigerante importado? | Sem subsídio na Zona Franca, Coca-Cola ameaça deixar Brasil
Publicidade
intersorft clinica master centro medico sao gabriel lab laboratorio
19 de janeiro de 2016

Suco natural, suco industrializado e refrigerante: eles também hidratam?

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Quando o objetivo é manter a hidratação infantil, a água pura é unanimidade entre os especialistas–seu consumo, portanto, deve ser incentivado à exaustão. Mas, nem sempre, a garotada a ingere de bom grado, nas quantidades adequadas, conforme reforçou uma revisão de dados da Universidade de Harvard (EUA), com 4 mil crianças e adolescentes de 6 a 19 anos. E ficar sem tomar líquido não é uma opção. Por isso, os pais acabam recorrendo a todos os tipos de bebidas para não deixarem os filhos desidratar. Mas será que eles podem ser vistos como substitutos? Qual é a medida ideal? Tem um limite? Para que eles entrem na dieta como aliados, sem prejudicar a nutrição, é preciso seguir algumas orientações, que se referem aos critérios de escolha e ao volume máximo diário por faixa etária. Nunca é demais lembrar que, nos seis primeiros meses, o bebê deve receber leite materno exclusivamente – até a água está dispensada.Depois disso, ela é sua principal aliada. Suco natural: Até o bebê completar 1 ano, os sucos devem ser evitados, segundo o manual de orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Não se trata de uma proibição, mas de algumas restrições: “Se forem administrados, que sejam no copo, de preferência, após as refeições principais e não em substituição a elas, em dose máxima de 100 ml por dia, com a finalidade de melhorar a absorção do ferro”. Frutas como laranja e limão favorecem o aproveitamento do mineral. Essas precauções se devem ao fato de que os sucos concentram muita frutose, o açúcar natural das frutas, o que induz o organismo a produzir muita insulina, contribuindo para o surgimento de diabetes e obesidade no futuro. Suco industrializado: Devido à grande concentração de açúcar, fuja dessa opção, especialmente antes dos 3 anos. Depois disso, raras exceções são aceitáveis – no máximo, duas vezes por semana e em quantidade pequena (cerca de 100 ml), que fique claro. Refrigerante: Fuja dele ao máximo. Além de não apresentar benefício nutricional, é rico em açúcar (uma lata pode ter 35 gramas!), o que contribui para a obesidade e doenças como diabetes e osteoporose, no futuro. Infelizmente, essas bebidas ainda estão presentes na geladeira do brasileiro: 32,3% das crianças com menos de 2 anos tomam refrigerante ou suco artificial, segundo a Pesquisa Nacional em Saúde, feita em 64 mil domicílios em todo o país.


VOLTAR