Suco natural, suco industrializado e refrigerante: eles também hidratam? » Rede Acontece
Últimas
>>> Ouça a Web Rádio Acontece <<< 20-05-2019 » Em requerimento | Kajuru pede explicações a Bolsonaro sobre 'conchavos' 20-05-2019 » Game of Thrones | Análise: final sofreu de mesmos problemas que toda a temporada 20-05-2019 » Manifestações convocadas | Para militares, chamado de Bolsonaro às ruas pode levar economia ao caos 20-05-2019 » Perdão de cerca de R$ 70 mi | Bolsonaro sanciona anistia a partidos políticos após ter dito que vetou o projeto 20-05-2019 » Marca nega acusações | Loja Três é denunciada: veja relatos de racismo, assédio e gordofobia 20-05-2019 » Em Barão dos Cocais (MG) | Chance de barragem se romper quando talude cair é de 10% a 15%, diz secretário 20-05-2019 » Articulação no Congresso | Se Câmara e Senado têm proposta, votem, diz Bolsonaro sobre reforma 20-05-2019 » Não libera | Maisa Silva: 'Globo está dificultando demais o meu programa' 20-05-2019 » De Globo a Record | Frustradas com Jair Bolsonaro, redes de TV adiam novos projetos 20-05-2019 » Brilhou em festa | Após ofuscar Neymar, Mbappé admite deixar Paris por "novo projeto" 20-05-2019 » Foi assaltado | Compadre Washington é internado após show na Virada Cultural 20-05-2019 » Da Toro Rosso | Conheça o piloto mais 'brasileiro' do grid. E genro de Piquet 20-05-2019 » Adriana Ancelmo | Mulher usa carteira da OAB para ver Cabral irregularmente 20-05-2019 » Renda do trabalhador | Por que o mínimo subiu 115%, mas aposentadoria só 81% em 10 anos? 20-05-2019 » Educação | Ao menos 12 universidades federais do país têm cotas para alunos trans 20-05-2019 » Após boicote de Trump | Google tira Android de celulares Huawei, e 'guerra fria' avança; entenda 20-05-2019 » Fundo de investimentos | Edital para construção de autódromo no Rio tem só um interessado 20-05-2019 » Regina Navarro | 'Amo meu marido, mas não sinto desejo por ele' 20-05-2019 » Josias de Souza | Centrão trama impor ao governo uma 'pegadinha' 20-05-2019 » R. Azevedo | Por que Bolsonaro não define o que é 'nova política'?
Publicidade
corretora de seguros
INTERSORFT 100 MEGA
19 de janeiro de 2016

Suco natural, suco industrializado e refrigerante: eles também hidratam?

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Quando o objetivo é manter a hidratação infantil, a água pura é unanimidade entre os especialistas–seu consumo, portanto, deve ser incentivado à exaustão. Mas, nem sempre, a garotada a ingere de bom grado, nas quantidades adequadas, conforme reforçou uma revisão de dados da Universidade de Harvard (EUA), com 4 mil crianças e adolescentes de 6 a 19 anos. E ficar sem tomar líquido não é uma opção. Por isso, os pais acabam recorrendo a todos os tipos de bebidas para não deixarem os filhos desidratar. Mas será que eles podem ser vistos como substitutos? Qual é a medida ideal? Tem um limite? Para que eles entrem na dieta como aliados, sem prejudicar a nutrição, é preciso seguir algumas orientações, que se referem aos critérios de escolha e ao volume máximo diário por faixa etária. Nunca é demais lembrar que, nos seis primeiros meses, o bebê deve receber leite materno exclusivamente – até a água está dispensada.Depois disso, ela é sua principal aliada. Suco natural: Até o bebê completar 1 ano, os sucos devem ser evitados, segundo o manual de orientação do Departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Não se trata de uma proibição, mas de algumas restrições: “Se forem administrados, que sejam no copo, de preferência, após as refeições principais e não em substituição a elas, em dose máxima de 100 ml por dia, com a finalidade de melhorar a absorção do ferro”. Frutas como laranja e limão favorecem o aproveitamento do mineral. Essas precauções se devem ao fato de que os sucos concentram muita frutose, o açúcar natural das frutas, o que induz o organismo a produzir muita insulina, contribuindo para o surgimento de diabetes e obesidade no futuro. Suco industrializado: Devido à grande concentração de açúcar, fuja dessa opção, especialmente antes dos 3 anos. Depois disso, raras exceções são aceitáveis – no máximo, duas vezes por semana e em quantidade pequena (cerca de 100 ml), que fique claro. Refrigerante: Fuja dele ao máximo. Além de não apresentar benefício nutricional, é rico em açúcar (uma lata pode ter 35 gramas!), o que contribui para a obesidade e doenças como diabetes e osteoporose, no futuro. Infelizmente, essas bebidas ainda estão presentes na geladeira do brasileiro: 32,3% das crianças com menos de 2 anos tomam refrigerante ou suco artificial, segundo a Pesquisa Nacional em Saúde, feita em 64 mil domicílios em todo o país.


VOLTAR