Troca de e-mails revela métodos de pedófilos: 'Fique amigo dos pais' » Rede Acontece
Últimas
21-02-2019 » Audiência no Senado | Damares critica ativismo e rebate ministro do STF sobre questão de gênero 21-02-2019 » Desastre em Brumadinho (MG) | Bombeiros acham almoxarifado soterrado; há indícios de corpos 21-02-2019 » Texto entregue ao Congresso | Oposição tranca pauta na Câmara em protesto à reforma da Previdência 21-02-2019 » Marcelo Antônio, do Turismo | Ministro pede para STF suspender apuração de laranjas do PSL em MG 21-02-2019 » Tema em discussão no STF | Fachin defende criminalizar homofobia e aplicar Lei de Racismo 21-02-2019 » Crise no país vizinho | Nicolás Maduro manda fechar a fronteira da Venezuela com o Brasil 21-02-2019 » Impasse | Sem acerto, direção do Corinthians se irrita com postura de Romero 21-02-2019 » Novo smartphone | Confira sete novidades do Galaxy S10 da Samsung 21-02-2019 » Caso tríplex | Ministro do STF nega mais um pedido de liberdade a Lula 21-02-2019 » SUV 'acupêzado' | Renault Arkana é registrado no Brasil e deve sair até 2021 21-02-2019 » Impasse continua | Globo aceita exibir parceiros da Conmebol apenas na TV paga 21-02-2019 » Caso Daniel | Audiência tem risada de réu e acenos da família Brittes; advogado faz críticas 21-02-2019 » Em São Bernardo | Governo de SP diz que buscará comprador para fábrica da Ford 21-02-2019 » Antimusa do Carnaval | Lívia Andrade rejeita ser 'certinha': 'Empoderada? Minha vida me fez assim' 21-02-2019 » Mulheres em profissões 'invisíveis' | 'Se some algo, sempre suspeitam de quem faz a limpeza'; leia relatos 21-02-2019 » Buscas continuam em Brumadinho | 'Quanto mais tempo passa, mais difícil', diz bombeiro símbolo de MG
Publicidade
27 de julho de 2018

Troca de e-mails revela métodos de pedófilos: ‘Fique amigo dos pais’

Foto: Reprodução

O delegado Valdemar Latance Neto coordenou a operação Moikano, iniciada em abril de 2014, que investigava uma rede internacional de pedofilia. Na época, a análise de 176 contas de e-email usadas por suspeitos culminaram em 50 mandados de busca domiciliar e 31 de prisão preventiva, que acabaram em 13 prisões em flagrante. Latance divulgou ao jornal ‘Extra’ trechos das mensagens trocadas pelos abusadores de crianças. Em um dos e-mails analisados pela polícia, um homem revela que tinha conseguido “passar a mão” no corpo de uma menina “loirinha, linda, de nove anos”. A partir daí, o suspeito e a vítima em potencial foram identificados. “Era uma criança em situação muito vulnerável”, afirma Latance. “A garota não foi abusada, mas não tenho dúvida que esse era o sonho da vida dele. Felizmente, conseguimos atuar antes que acontecesse. Isso foi possível porque a mensagem era recente e houve uma reação rápida: o estupro de uma criança pode ocorrer caso a atuação do estado demore”, completou o delegado.
Outro caso investigado foi uma troca de e-mails entre um palhaço chamado Ricocó, que trabalhava em Salvador animando festas infantis, e um homem identificado por “Léo Santo André”. Este suspeito mandou um e-mail com imagens de um garoto de aparentemente oito anos sendo abusado e deu dicas de como cometer o crime: “Fique amigo dos pais”. Ainda de acordo com a reportagem, o delegado diz que é preciso considerar o peso dessa acusação durante a busca e apreensão. “Um inocente pode ter a honra manchada, em seu círculo social, com uma injusta e permanente atribuição do rótulo de pedófilo”, afirma. “Estamos revelando o maior segredo da vida dele. Sua reação representa um risco, inclusive de suicídio. Em 99% dos casos a família não sabe de nada, até porque não há um perfil específico. Pode ser qualquer tipo de pessoa”, completa.


VOLTAR