USP trabalha na criação de um chip que identifica os vírus da dengue, chikungunya e zika » Rede Acontece
Últimas
18-08-2018 » Autor de Mutantes | Com presença da ex, Tiago Santiago se casa com chef 18-08-2018 » Show no Rio é adiado | Jorge Aragão é internado e passa por cateterismo 18-08-2018 » Barracos afetaram | Audiência motivou saída de Mara do Fofocalizando 18-08-2018 » Ao lado de Graciele | Zezé Di Camargo recebe as filhas em seu aniversário 18-08-2018 » Após ponte desabar | Mais corpos são achados em Gênova; vítimas sobem a 41 18-08-2018 » O presidente da Vila | Peres convida Pelé a se tratar no Santos e fala de rixa de Neymar 18-08-2018 » Opinião da seleção | Juca: Raras vezes uma convocação pegou tão mal 18-08-2018 » Série da Netflix | 5 motivos para todo fã dos Simpsons se viciar em Des(encanto) 18-08-2018 » Efeito pode ser minimizado | Afinal, a radiação dos celulares faz mal? Estudo traz novas respostas 18-08-2018 » Presidenciáveis voltam a se encontrar | Debate da RedeTV! tem 'sermão' e foco em economia 18-08-2018 » Certeiro e ousado | Harmonize chocolate com vinho e impressione o 'date'; veja sugestões 18-08-2018 » Clima esquentou no debate | Marina ataca Bolsonaro sobre direitos da mulher 18-08-2018 » 3 palavras: Lula, armas, pesquisa | Em debate, Bolsonaro lê 'cola' feita na mão antes de pergunta a Marina Silva 18-08-2018 » Entre críticas e alfinetadas | Ataque a Lula e embate entre Meirelles e Boulos; veja frases do debate 18-08-2018 » Casal de cegos vive só em SP | 'A cegueira é só uma parte de mim, eu sou muito mais que tudo isso' 18-08-2018 » A dúvida que não cala no PT | O que acontece se a candidatura de Lula for definitivamente negada? 18-08-2018 » Turbinado com motor do EcoSport | UOL Carros destrincha Ford Ka Sedan Titanium, versão 'luxuosa' de R$ 71 mil 18-08-2018 » Petista tenta candidatura | Supremo deve ignorar documento de comissão da ONU favorável a Lula 18-08-2018 » 'Um estadista global' | Morre o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, aos 80 18-08-2018 » Contra sarampo e polio | Campanha chega ao 'Dia D' com apenas 16% de crianças vacinadas
Publicidade
lab laboratorio clinica master intersorft centro medico sao gabriel
24 de dezembro de 2015

USP trabalha na criação de um chip que identifica os vírus da dengue, chikungunya e zika

Imagem Reprodução

Imagem Reprodução

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto (SP) trabalham no desenvolvimento de um chip que pode ser capaz de detectar 416 tipos de vírus – entre eles o da dengue, da chikungunya e do zika vírus transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti – através de amostras clínicas de pacientes.O estudo pioneiro no Brasil é um passo importante para ajudar médicos em diagnósticos rápidos e precisos. Ao invés da conhecida virose, o médico poderá detalhar ao paciente em um único exame o quê de fato causou a doença. O trabalho está em fase final de desenvolvimento e a patente deve ser registrada no início do ano que vem. Luzes apontam as doenças – Segundo o professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP Victor Hugo Aquino, amostras de sangue coletadas dos pacientes são submetidas à verificação de 15 mil sondas presentes em cada chip aplicado em lâmina. Os pontos fluorescentes na tela do computador apontam com exatidão a presença do vírus no organismo. “A sensibilidade é bastante alta porque a amostra clínica primeiramente é processada. Cada ponto está identificado e dessa forma conseguimos identificar qual vírus está presente na amostra clínica.Onde aparecem as marcações fluorescentes, posteriormente, são analisadas e é realizado um cálculo estatístico para ver qual o vírus presente na amostra clínica”, explica. O professor ressalta que, a princípio, o estudo foi realizado com base na ação de vírus presentes na América do Sul e transmitidos por artrópodes, que incluem insetos como o Aedes aegypti, e por pequenos mamíferos. “Esses vírus são de suma importância aqui no Brasil e em geral na América do Sul, que é uma região tropical, onde circulam muitos desses vírus. Dengue, zika, chikungunya são todos vírus transmitidos por mosquitos e tem outros vírus circulando no Brasil de grande importância, e pode vir a surgir outros vírus em outras regiões que são incluídas no nosso chip”, afirma. Desenvolvimento e próximos passos – Embora o chip esteja em fase de desenvolvimento, o próximo passo da pesquisa, segundo o professor, é ampliar a quantidade de vírus possíveis de serem detectados pelo dispositivo. “Nossa intenção, posteriormente, é incluir vírus respiratórios, causadores de encefalites, meningites, e assim sucessivamente, para facilitar o diagnóstico.” Aquino também destaca melhorias no monitoramento de doenças virais no país. “Devido à degradação ambiental que a gente está sofrendo, novos vírus vem surgindo e acometendo o ser humano. Isso dificilmente vai terminar, é preciso ter ferramentas para estar monitorando o ingresso de novos vírus e a infecção do ser humano com novos vírus.”


VOLTAR