Wagner comenta impeachment e diz que ‘impopularidade não é crime’ » Rede Acontece
Últimas
20-01-2019 » Campeonato Paulista | Na Arena, Corinthians marca no último lance e empata com São Caetano 20-01-2019 » Funcionários fantasmas | Assembleias Legislativas de 16 estados são alvo de investigações 20-01-2019 » Campeonato Carioca | Fla sai atrás após falha de R. Caio, mas vira e bate Bangu por 2 a 1 20-01-2019 » Movimentações atípicas | Caso de Flávio Bolsonaro "não tem nada" a ver com governo, diz Mourão 20-01-2019 » Músico morreu aos 53 | Corpo de Marcelo Yuka é enterrado em cemitério no Rio 20-01-2019 » "Podem ser diferentes" | 1º encontro com aliens será chocante, aposta astrofísico de Harvard 20-01-2019 » istambul basaksehir | Com Robinho, time de 'velhinhos' provoca revolução na Turquia 20-01-2019 » Campeonato Gaúcho | Fora de casa, Grêmio goleia Novo Hamburgo por 4 a 0 em sua estreia 20-01-2019 » Campeonato Mineiro | Ricardo Oliveira brilha, marca 3, e Atlético-MG goleia Boa Esporte por 5 a 0 20-01-2019 » Presidente flexibilizou posse | "Estado não está obrigando ninguém a adquirir armas de fogo", diz delegada 20-01-2019 » Carolina Ligabue conhece elite do país | Ela tuitou traições e bastidores de ricos e famosos e viralizou 20-01-2019 » Nutricionista falou no VivaBem Talks | Luta contra efeito sanfona na dieta? Confira essas 5 dicas de Veronica Laino 20-01-2019 » Queloides inflamadas no corpo | "Levei 16 anos para achar solução para as cicatrizes que me abalavam muito" 20-01-2019 » 'Temos uma cota pessoal' | Deputados do PSL montam estratégia contra parlamentares do PT e PSOL 20-01-2019 » Delação premiada | Palocci diz que Lula pediu R$ 30 mi para Delfim e Bumlai em obra de Belo Monte
Publicidade
29 de dezembro de 2015

Wagner comenta impeachment e diz que ‘impopularidade não é crime’

Foto: Conquista Acontece

Foto: Conquista Acontece

O ministro da Casa Civil e ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT) comentou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) e afirmou que as recentes conquistas do governo no Supremo Tribunal Federal (STF) dão força para a superação da crise. “Fundamentalmente, na área jurídica, o governo melhorou por causa do STF. Isso tudo foi uma reflexão dentro do governo. Nas questões principais, nós vencemos: o Senado teve supremacia e o Supremo deu a dimensão que o processo precisa. O processo é tão grave que não pode ser tratado de forma corriqueira e banal. O STF acabou com a banalização e com a tentativa de uso [político] do impeachment. Eu participo de um governo que não está num bom momento. Eu sei das dificuldades, mas impopularidade não é crime. É problema, é defeito, é algo que pode ser sanado. Nós temos que melhorar a gestão da política, do emprego. É claro que a decisão do Supremo foi um trabalho de juristas, dos nossos aliados. Não dá para tratar o impedimento como o tapetão de uma disputa eleitoral”, declarou. O petista criticou ainda a posição do presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).De acordo com Wagner, a situação de Cunha se complica a cada dia com o anúncio de novas manobras para tentar retirar a presidente do poder e escapar do julgamento do Conselho de Ética e do Supremo Tribunal Federal, que podem resultar na sua cassação. “O futuro de Eduardo Cunha está na mão do Conselho de Ética, e não na minha mão e na da presidente. Quero elogiar o trabalho de José Carlos Araújo (PSD-BA) [presidente do Conselho], que foi ameaçado. Hoje, Cunha está em um dos seus piores momentos, porque muita gente não está mais rezando na cartilha dele. Ele tentou derrubar a a reunião do Conselho de Ética e não conseguiu. Ele está tomando ‘zig now’, porque a situação dele é pública e ruim”, disse.


VOLTAR