Zuckerberg quer impedir interferência nas eleições do Brasil » Rede Acontece
Últimas
17-11-2018 » Mensagem circulando nas redes é falsa | Não é verdade que cédulas de US$ 100 perderão o valor em 2019 17-11-2018 » Estilo agrada Bolsonaro | Brasil tem condições de adotar a política externa agressiva de Trump? 17-11-2018 » Caravana tenta entrar nos EUA | O dia em que 12 mil migrantes chegaram à Cidade do México 17-11-2018 » Resgate ainda não foi definido | Localização de submarino argentino deixa parentes de tripulantes 'chocados' 17-11-2018 » Fogo avança nos EUA | Incêndios na Califórnia deixam mais de 70 mortos e 1.000 desaparecidos 17-11-2018 » Mandou suspender pagamento | Decisão de Gilmar sobre planos econômicos é alvo de petições no STF 17-11-2018 » A partir de R$ 80 mil | Salão de SP: como é dormir no Mitsubishi L200 Motorhome? 17-11-2018 » Foco total | 36 aviões por hora: a rotina na torre de controle de Congonhas 17-11-2018 » Falou de Bolsonaro | Silvio não sabia da participação de Lula no Teleton 2008, diz SBT 17-11-2018 » Procurando emprego? | Currículo que funciona é enxuto, em tópicos e sem nenhum enfeite 17-11-2018 » Apresentador na ESPN | Luciano Amaral já foi "herói do Tetra" e pioneiro de eSports 17-11-2018 » Novo governo | Culto e 2 cerimônias: o que já se sabe sobre a posse de Bolsonaro 17-11-2018 » Programa fica sem cubanos | Será difícil repor 10 mil vagas, diz ex-chefe do Mais Médicos 17-11-2018 » Equipes fazem escoramento | Prefeitura de SP reduz risco de desabamento de viaduto que cedeu 17-11-2018 » Amistoso Brasil x Uruguai | Neymar repete com Cavani e Suárez afagos e rusgas da vida pessoal
Publicidade
10 de setembro de 2018

Zuckerberg quer impedir interferência nas eleições do Brasil

Foto Reprodução

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, revelou em post no seu perfil na rede social que acredita que a empresa está pronta para prevenir que a plataforma seja usada para interferir nas eleições presidenciais do Brasil e eleições intercalares dos EUA.

Na publicação, Zuckerberg escreve que o seu “desafio pessoal para 2018 foi resolver as importantes questões com os quais o Facebook se depara”, como a “defesa conta interferência eleitoral por estados soberanos, proteger a comunidade de abuso e perigo e garantir que as pessoas têm controle da sua informação e estão confortáveis como ela é usada”.

“Estou gastando muito tempo nestas questões e à medida que o ano acaba vou começar a escrever uma série de notas descrevendo o que penso delas e os passos que estamos tomando para lidar com elas. A primeira nota será sobre como estamos prevenindo a interferência eleitoral no Facebook, o que vem com a aproximação das eleições intercalares dos EUA e das presidenciais do Brasil”, escreveu o CEO.

Durante o texto, o líder da rede social reconhece ingenuidade que esteve na origem das polémicas dos últimos meses. “O que aprendi até agora é que quando se constrói serviços que são usados por milhões de pessoas de diferentes países e culturas, pode ver o bem que a humanidade é capaz de fazer e pessoas que tentarão abusar desses serviços de todas as maneiras possíveis. É a nossa responsabilidade amplificar o bom e mitigar o mau”, explica. Confira a postagem completa:


VOLTAR